URGENTE

DESAPONTADO: Presidente do MDB diz que partido espera retratação e pedido de desculpas de Confúcio



Porto Velho, Rondônia - O Presidente regional do MDB, Tomás Correia, participou na noite dessa terça-feira, 17, do Programa Rondônia em Debate, na TV Gazeta canal 25, em Porto Velho, e retransmitido pelas emissoras do SGC para todo o estado de Rondônia.

Correia inaugurou sua fala deixando clara a sua insatisfação com os áudios gravados pelo ex-governador Confúcio Moura (MDB) e tornado público, nos quais ataca o partido, o senador Valdir Raupp, a deputada Marinha Raupp, os convencionais da legenda, e ele próprio condição de dirigente da sigla.

Perguntado pelo jornalista Arimar Souza de Sá sobre como recebeu a divulgação das conversas de gravadas, Tomás disse ter ficado surpreso com o teor das gravações e desapontado por elas terem partido de Confúcio. Diplomático, Correia disse esperar, para os próximos dias, um pedido de desculpas e uma retratação pública por parte do ex-governador, a quem afirma não combinar tais despautérios, acreditando se tratar de um momento delicado e infeliz.

As observações pontuadas por Confúcio Moura nos áudios, onde chama Raupp, Marinha e Tomás de bandidos descarados, segundo o presidente do partido, acabam maculando a imagem do MDB em Rondônia e a própria história política de Confúcio Moura, construída através de três mandatos de deputado federal, dois mandatos de prefeito de Ariquemes e dois de governador.

GARANTIDA APENAS UMA VAGA AO SENADO

Sobre as duas vagas em disputa ao senado e a questão do MDB disponibilizar dois nomes na chapa, Tomás disse que essa é uma questão que será definida pela convenção, que acontece no final deste mês de julho, em local ainda a ser definido, mas adiantou que, definitivamente, o MDB terá apenas uma postulação ao senado, para não prejudicar futuras alianças com outros partidos. "Se mantivermos ao duas vagas, certamente, prejudicaremos a candidatura de Maurão ao governo", esclareceu.

“Essas são questões que são definidas pela convenção do partido. Estamos organizando um grande evento para dar o ponta-pé inicial na campanha, onde definiremos sobre as vagas ao senado, as composições e coligações, as chapas para deputado federal e estadual e a confirmação de Maurão de Carvalho como o nosso candidato a governador”.

DE QUE LADO ESTÁ

Questionado se entre a postulação de Raupp e Confúcio ao senado, de que lado ficaria na hora da decisão. "Olha esta é uma resolução que deverá ter tomada pelos nossos convencionais, no entanto, sou forçado a admitir que tenho mais proximidade com o senador Valdir Raupp, de quem sou amigo e suplente no senado da república.

CONFÚCIO GOVERNOU SOZINHO

Ainda no meio da entrevista Tomás admitiu que, no período em que Confúcio era governador, recebeu uma série de reclamações de partidários emedebistas reclamando que não haviam sido prestigiados na governança emedebista e que por diversas vezes se avistou com Moura e levou esse pleito dos companheiros partidários e teve como resposta em tom de ironia: "O MDB já foi prestigiado, tem o governador no comando do poder, pra que mais".



Sobre a "dinamite" que Confúcio diz ter guardada em caso de ser preterido para uma vaga no senado durante a convenção, Tomás Correia sorriu e disse não acreditar, mas ponderou: "Dinamite explode e nas mãos de quem não tem juízo ou não sabe lidar com o artefato é bastante perigoso".

Nenhum comentário