URGENTE

Concurso PF: Diretor confirma distribuição das 500 vagas

 Concurso PF: Diretor confirma distribuição das 500 vagas
De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio Boudens, em reunião com o diretor-geral da Polícia Federal (PF), delegado Rogério Galloro, na última terça-feira, dia 17, foi confirmada a distribuição das 500 vagas que deverão ser oferecidas no próximo concurso público da corporação. A oferta de 500 postos já havia sido confirmada pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, em 28 de fevereiro.A realização do certame, prevista para ocorrer até o segundo semestre, depende apenas o término do trâmite do processo de liberação de verbas, que tramita no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), que está em análise na Divisão de Concursos do MPDG, desde o último dia 3 de abril.
De acordo com o diretor-geral, das 500 vagas, 180 serão para o cargo de agente, 150 para delegado, 80 para escrivão, 60 para perito e 30 para papiloscopista.
Segundo Jungmann, o orçamento da pasta para 2018 será de R$ 2,7 bilhões e não haverá contingenciamento das verbas do órgão, conforme ficou decidido após reunião com o Ministério do Planejamento.
A liberação para o novo concurso da PF está relacionada ao principal objetivo do novo ministério, criado por Medida Provisória em 27 de fevereiro. No entendimento do governo, a pasta será responsável por coordenar e promover o combate à criminalidade em parceria com os Estados.
Jungmann responde pelo comando da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal (que também teve concurso autorizado para 500 vagas), Força Nacional e pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), antes vinculados ao Ministério da Justiça.
Em 18 de janeiro, o então diretor-geral da PF, Fernando Segóvia, já havia antecipado que o presidente Michel Temer garantiu o aval para o certame. 
CURSO CONCURSO PF 2018 - AGENTE
CURSO CONCURSO PF 2018 - DELEGADO
CURSO CONCURSO PF 2018 - PERITO
CURSO CONCURSO PF 2018 - ESCRIVÃO
Vale lembrar que, de acordo com o decreto presidencial 8.326, de 2014, a PF pode iniciar novo concurso para seus quadros sempre que constatada uma defasagem de pelo menos 5% dos servidores, sem necessidade de autorização prévia do MPDG para realizar o certame. Ainda assim o órgão precisa de confirmação do Planejamento de que dispõe de verbas para as contratações.     

Nenhum comentário