Ação das Forças Armadas em complexo de favelas do Rio já tem mais de 7 horas - Voz de Rondônia

terça-feira, 27 de março de 2018

Ação das Forças Armadas em complexo de favelas do Rio já tem mais de 7 horas

Ação das Forças Armadas em complexo de favelas do Rio já tem mais de 7 horas
A operação das Forças Armadas, com apoio das equipes de segurança do estado do Rio, no complexo de favelas do Lins de Vasconcelos, na zona norte da cidade, já dura mais de sete horas. Os militares começaram o cerco às favelas e morros do Lins antes das 6h.

Para facilitar a atuação da tropa, o comando da operação interditou a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá nos dois sentidos. A interdição vai até o fim da ação, que ainda não tem hora para terminar. A estrada é uma rota importante de acesso ao centro do Rio, e seu fechamento prejudicou o trânsito em vários bairros, como Jacarepaguá, Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes. A Linha Amarela, que é uma rota alternativa, tem retenções no sentido Ilha do Fundão e Cidade de Deus, no acesso à Estrada do Pau Ferro, em Jacarepaguá. Na Autoestrada Lagoa-Barra, há retenções no sentido Lagoa desde o Gávea Golf Clube.
De acordo com o Centro de Operações da prefeitura do Rio, que monitora a estrada por meio de câmeras de segurança, a melhor opção para os motoristas que se dirigem aos bairros da zona oeste, como Jacarepaguá, Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes, é seguir pelo Alto da Boa Vista.
Os militares, com apoio de retroescavadeiras e pás mecânicas, estão retirando as barricadas feitas pelo crime organizado para impedir que os carros da polícia tenham acesso às 11 comunidades que formam o Complexo do Linse colocando os blocos de concreto em caminhões basculantes.
A ação envolve cerco, estabilização dinâmica da área e desobstrução de vias nas favelas.

A Polícia Civil cumpre mandados de prisão e de busca e apreensão expedidos pela Justiça contra criminosos que atuam na região. A Polícia Militar bloqueia vias de acesso à comunidade a fim de impedir a fuga de criminosos e coibir roubos de veículos e de cargas em geral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário